ANIMAIS “SALVARAM” PANDEMIA DE MUITOS PACIENTES

O luto em meio às restrições que o isolamento impõe pode se tornar insuportável

14/08/21

Por: Patrícia Vidal

Pandemia fez vínculos com animais domésticos se estreitarem

Meu “divã” - atualmente virtual - recebe pessoas que perderam ou estão em processo de despedida dos animais que tem em casa.


Acompanho enfrentamentos surpreendentes neste período pandêmico! Quem diria que tutores aparentemente vulneráveis dariam conta de cuidar de um novo pet? Ou encarariam a jornada exigente de cura desses companheiros? Que bancariam estar presentes na partida de seu amado, para depois recolher os caquinhos que restaram de si e reconstruir uma vida que faça sentido?


Assisti a vários tutores que enfrentaram a insegurança e adotaram animais adultos, adoecidos, e até terminais, com uma admirável disponibilidade emocional. Idosos que viviam sozinhos finalmente se animaram a levar um bichinho pra casa e agora usufruem dos impactos positivos sobre a saúde física e emocional.


Na minha prática clínica, pouquíssimos tutores enlutados foram impulsivos ao levar o animal para casa. A recomendação de aguardar o processo de luto antes de acolher um novo integrante para a família foi temporariamente abandonada. E até aqui ninguém se arrependeu!


O luto em meio às restrições que o isolamento impõe pode se tornar insuportável. Alguns saíram correndo do processo terapêutico quando se deram conta de que o animal perdido encobria dificuldades antigas dos relacionamentos humanos. Este é tema para uma próxima vez!


Na pandemia, não tem jeito: gastamos muita energia para nos ajustar ao cenário que muda e desafia o tempo todo. Não estamos 100%. Em tese, nossa disponibilidade para investir afetivamente nos animais domésticos poderia estar comprometida pela necessidade de sobreviver. Porém, os humanos estão descobrindo versões mais potentes neste momento, mesmo quando vivenciam a dor. É que dor caminha de mãos dadas com amor. Um clichê, mas é verdade: os animais de estimação nos tornam melhores pessoas - e na pandemia, um pouco mais sãos.

Patrícia Vidal

Psicóloga especializada em vínculos e luto por perda de animais domésticos.